Primeira instituição a bloquear o tráfego na Rodovia Translitorânea para reivindicar a Constituição Nacional Brasileira

A consolidação da Constituição Nacional Brasileira de 1988 proporcionou a criação dos primeiros direitos e atualizações salariais dos aposentados e pensionistas de todo o Brasil.

Primeira entidade a bloquear a Ponte Pedro Ivo Campos, em janeiro de 1991, na luta pelos 147% de aumento salarial

Os atos de heroísmo deste dia fatídico resultaram em prisões, agressões e na agressão física com sérias consequências ao aposentado Quintino Cechinel, levado ao hospital pelo atual presidente da Ataprevcri, o Sr. Manoel Antônio Vieira.

Primeira organização a iniciar os movimentos pelo impeachment do presidente Fernando Collor de Mello

O movimento teve início no Sul de Santa Catarina e a adesão da sociedade brasileira nos dias seguintes.

Primeira instituição a bloquear o tráfego na Rodovia Translitorânea no trevo de Vila Nova, no município de lçara

Seu fechamento foi realizado pelos membros da associação e demais associados em um movimento pelos direitos das classes que representam.

Conheça a história da Ataprevcri

No dia 1º de Maio de 1979 foi fundada a Asaprevcri, a Associação dos Aposentados e Pensionistas da Região Sul Carbonífera do Estado de Santa Catarina.

Em Novembro de 2003, por sua vez, ocorreu a mudança da razão social da associação, que passou a se chamar Ataprevcri, a Associação dos Trabalhadores Aposentados, Pensionistas e Idosos de Criciúma.

Seu primeiro presidente foi o João Virtuoso, que dirigiu a instituição de 1979 a 1984. Osni da Silva assumiu de 1984 a 1986.

Em 1986, em comissão realizada no Sindicato dos Mineiros de Criciúma, Sr. Manoel Antonio Vieira assumiu a presidência da entidade e ainda hoje preside a associação de aposentados.

Conhecido na região como "Vieirinha", Sr. Manoel Antonio Vieira é um exemplo de determinação e garra diante das adversidades da classe que sempre representou.

"Somos uma entidade de luta e sempre atuante em defesa dos direitos dos aposentados, pensionistas e idosos" , ressalta Vieirinha.


Tempo de união

Vieirinha lembra com carinho do fundador da associação, o visionário Sr. João Virtuoso.

"Foi um tempo de união por algo melhor para todos", lembra Vieirinha.

Atuantes desde o início também são as companheiras Helena Zaggo Teixeira, rainha dos aposentados de 2004 a 2007, e Severina Nandi, rainha de 2007 a 2009.

"Minha tarefa, enquanto Rainha dos Aposentados, foi como a de uma Miss Brasil", afirma Helena, que participa ativamente de protestos de nível nacional realizados em Brasília.

Vários companheiros, desde 1988, ainda estão à frente deste movimento e continuam pertencendo até hoje a diretoria da associação, demonstrando todo o caráter e determinação dos homens e mulheres que fazem parte desta entidade.


Vanguarda do protesto social no país

A Ataprevcri foi à primeira organização a se manifestar em prol da promulgação da Constituição Nacional Brasileira, em 1988, bloqueando o tráfego da rodovia BR - 101.

"Antes da Constituição não se falava em reajuste anual do salário do aposentado", comenta Vieirinha.

Hoje, diante do direito adquirido perante manifestações e protestos, a categoria tem negociação salarial anualmente.

A Ataprevcri foi à primeira entidade a bloquear a Ponte Pedro Ivo Campos, em Janeiro de 1992, na luta pelos 147% de aumento salarial. A manifestação teve repercussão nacional e internacional.

''Naquela época não se avisava que ia ter manifesto. Paramos oito ônibus em cima da ponte e começamos a descer e a caminhar a pé. Teve líder popular preso e até um aposentado morto pela polícia", lembra o Sr. Manoel Antonio Vieira.

Vieira lembra, em um misto de gloria e tristeza, que os manifestantes conseguiram uma audiência no mesmo dia com o governador.

"Diante das manifestações, o juiz deu liminar favorável ao reajuste e, a partir deste, juízes de todo o pais também foram favoráveis".

Infelizmente, durante as manifestações, o aposentado Quintino Cechinel, agredido a coronhadas por um policial militar ao participar do protesto, em 28 de Janeiro de 1992, faleceu.

Cenas dessa agressão foram mostradas em canais de televisão em todo o Brasil e em varias partes do mundo. A imagem patética do senhor de 70 anos, cercado de policiais, com a camisa rasgada e o peito nu e ensanguentado, foi estampada nos principais jornais do país e do mundo no dia seguinte.

A partir deste momento, a imprensa nacional passou a destacar que os aposentados eram "os únicos a protestar nas ruas contra o Planalto".

Um trecho de uma matéria da Folha de São Paulo de 26 de Janeiro de 1992, resume esse ponto de vista.

"Sem poder de greve, e média de idade de 60 anos, eles já conseguiram obrigar o governo a convocar o Congresso em caráter extraordinário e adiar o acordo do Brasil com o FMI".


A revolução talvez comece com os aposentados

Luiz Inácio Lula da Silva, numa manifestação na Praça da Sé, em São Paulo, por ocasião do Dia Nacional do Aposentados, em 24 de Janeiro, teria dito que a "revolução talvez comece com os aposentados".

A Ataprevcri foi a primeira instituição a bloquear o tráfego na rodovia BR - 101, para reivindicar a Constituição Nacional Brasileira de 1988, no mesmo ano, tornando possível a consolidação da Constituição Nacional Brasileira de 1988 e dos primeiros direitos e atualizações salariais dos aposentados e pensionistas.

Foi a primeira entidade a bloquear a Ponte Pedro Ivo Campos, em 28 Janeiro de 1992, na luta pelos 147% de aumento salarial, resultando em prisões e na morte do aposentado Quintino Cechinel, levado ainda vivo ao hospital pelo atual presidente da Ataprevcri, o Sr. Manoel Antônio Vieira.

Foi a primeira organização a iniciar os movimentos pelo impeachment do presidente Fernando Collor de Mello no Sul de Santa Catarina, que posteriormente tive a adesão da sociedade.

Em 1990 a BR - 101 foi fechada pela primeira vez no trevo da Vila Nova, no município de lçara, em Santa Catarina, pelos membros da associação e demais associados em um movimento pelos direitos das classes que representam.

 As agências do INSS, Instituto Nacional do Seguro Social, de Criciúma, também foram alvo dos movimentos sociais impetrados pela Ataprevcri em prol dos direitos dos trabalhadores aposentados, pensionistas e idosos de Criciúma e região.


A revolução já começou

Hoje a Ataprevcri é filiada a Cobap, a Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas, e a Feapesc, a Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas de Santa Catarina, possuindo história e caráter para ser considerada a maior associação de Santa Catarina no que diz respeito à luta pelos direitos dos trabalhadores aposentados, pensionistas e idosos.

A associação tem muito a comemorar. Já são mais de quatro mil associados e o projeto da sede própria segue adiantado.

"Hoje temos uma sede informatizada. Naquela época não tínhamos um banco para sentar. Isso foi à custa de muito trabalho", lembra Vieirinha.

Entre as lutas em exercício está a "pressão" popular pela aprovação, no Senado, da vinculação do salário dos aposentados e pensionistas ao salário mínimo.

Sr. Manoel Antonio Vieira ainda faz um apelo publico pela atenção a saúde em nível nacional.

"Vemos idosos atendidos precariamente em hospitais, deitados no chão. Quem não tem plano de saúde esta morrendo a míngua".

E comentou que "quando era pequeno tínhamos três hospitais em Criciúma. A população se multiplicou e temos os mesmos três".

A rainha Helena defende a criação de uma ala hospitalar exclusiva para idosos.


Jovens demais para desistir

A luta pelos direitos dos trabalhadores aposentados, pensionistas e idosos nunca se aposenta.

"A luta nunca se aposenta" tornou-se o lema das associações de trabalhadores aposentados, pensionistas e idosos de toda Santa Catarina.

A força e a determinação destes homens e mulheres da terceira idade ainda é a melhor resposta diante das adversidades, opressões e interesses escusos que ferem os direitos adquiridos durante décadas de manifestações, protestos e sangue.